(11) 3858-9424


Análise Metalográfica

Abaixo iremos apresentar um passo a passo de uma preparação de amostra para análise metalográfica

Corte

O procedimento de corte é necessário para particionar o corpo de prova a ser analisado, deve ser cortado de forma a não sofrer alterações pelo método de corte. 

Usa-se o método abrasivo a frio, em uma Cortadora Metalográfica "Cut-Off", que faz um corte preciso, utiliza um disco abrasivo fino especifico e boa refrigeração, a fim de não gerar calor na amostra, resultando em superfícies planas com baixa rugosidade, de modo rápido e seguro.

A refrigeração é feita através da circulação do liquido refrigerante/ lubrificante solúvel em água, evitando a “queima” da amostra e consequente alteração na estrutura a ser analisada.

 

Embutimento

O procedimento de embutimento da amostra é indicado para facilitar o manuseio das peças, evitar danificar a lixa metalográfica ou ao pano de polimento, empenamento da superfície, que traz dificuldades ao observador. Consiste em circundar a amostra com um material adequado, formando um corpo único

Existem 2 métodos de embutimento:

• A quente utiliza-se baquelite ou resina acrílica em uma Embutidora Metalográfica

• A frio utiliza-se resina acrílica ou poliéster em um molde de preferência.

 

Lixamento 

O processo de lixamento é essencial pela necessidade de um alto grau de qualidade no acabamento de uma amostra metalográfica. Consiste em se lixar a amostra com lixas de granulometrias variadas, da maior para a menor, mudando-se de direção (90°) em cada lixa subsequente até desaparecerem as marcas da lixa anterior. Utiliza-se agua para refrigeração e remoção de resíduos.

Existem dois processos de lixamento: 

• Mecânico, através de uma Politriz Lixadeira Metalográfica rotativa com seleção da velocidade de rotação. 

• Manual, através da movimentação da amostra em uma lixadeira lixa

 

Polimento 

A operação de polimento, visa um acabamento superficial polido isento de marcas de lixa, utiliza para este fim abrasivos como pasta de diamante ou alumina em suspensão.

Antes de iniciar o polimento deve-se fazer uma limpeza na superfície da amostra, para deixá-la sem de traços abrasivos, solventes, poeiras e outros. A operação de limpeza pode ser feita com a lavagem com água, mas, pode-se usar líquidos de baixo ponto de ebulição (álcool etílico) para que a secagem seja rápida. Existem cinco processos de polimento: Mecânico; Semiautomático em sequência; Eletrolítico; Mecânico-eletrolítico; Químico. 

O processo mecânico, o mais utilizado, é realizado através de uma Politriz/Lixadeira. Pode ser manual, quando a amostra é trabalhada manualmente no disco de polimento e automática quando as amostras são lixadas em dispositivos especiais e polidas sob a ação de cargas variáveis. O abrasivo mais utilizado para o polimento mecânico é a pasta de diamante, devido as suas características de granulometria, dureza, forma dos grãos e poder de desbaste. Porem a alumina em suspensão também é um ótimo agente polidor sendo utilizada com concentração de 10% em várias granulometrias. Dependendo do tipo de agente polidor escolhido será escolhido o pano de polimento.

 

Ataque químico: 

Há uma enorme variedade de ataques químicos para diferentes tipos de metais e situações. Em geral, o ataque é feito por imersão da amostra, durante um período de aproximadamente 20 segundos, assim a microestrutura é revelada. Um dos reagentes mais usados é o NITAL, (ácido nítrico e álcool), que funciona para a grande maioria dos metais ferrosos.

Postado em 26/07/2018 às 20:08:21
What's App icone